• Procuradorias
  • PRT Cuiabá (sede)
  • Lançado site do Simpósio Internacional “Indígena, Negro(a), Quilombola, Religioso(a) de Matriz Africana: Da Ancestralidade ao Futuro”

Lançado site do Simpósio Internacional “Indígena, Negro(a), Quilombola, Religioso(a) de Matriz Africana: Da Ancestralidade ao Futuro”

Página reúne informações da primeira edição do simpósio, ocorrida em 2018, e da segunda edição, agora internacional, que acontece em Brasília de 5 a 8 de novembro

21/10/2019 - Está no ar o site do Simpósio Internacional “Internacional “Indígena, Negro(a), Quilombola, Religioso(a) de Matriz Africana: Da Ancestralidade ao Futuro", que tem como temas centrais o preconceito, o racismo, a intolerância e a discriminação nas relações de trabalho, produção e consumo”, acessível aqui. O evento acontece de 5 a 8 de novembro, na sede da Procuradoria-Geral do Trabalho, em Brasília.

O simpósio é uma realização do Ministério Público do Trabalho e da Escola do Ministério Público da União e conta com o apoio da Organização Internacional do Trabalho (OIT), do Fundo das Nações Unidas para a Infância – UNICEF, da Escola Nacional de Aperfeiçoamento da Magistratura Trabalhista (Enamat), e do Coletivo de Entidades Negras (CEN) e da Rádio Yandê, primeira rádio indígena web do Brasil.

Com a participação de mais de 100 autoridades, pesquisadores e especialistas nacionais e internacionais, o objetivo é debater os desafios para a superação de estigmas étnico-raciais, de gênero e religiosos que são enfrentados pelos povos indígenas, população negra, quilombola e religiosos de matriz africana, no país e no mundo.

Elaborada pelo canal Àwúre, parceiro do evento, a página do simpósio traz também uma contagem regressiva para o início das atividades, notícias relacionadas com a temática do evento, os palestrantes confirmados, programação completa, fotos e vídeos da primeira edição do simpósio, que ocorreu em 2018.

"Neste contexto, não escapam à atenção questões relacionadas à titulação de terras indígenas e quilombolas, porque estas lhes garantem condições de subsistência por meio de trabalho, que, para ser digno e decente, deve respeitar suas tradições e saberes ancestrais. Também não escapa à atenção as questões relacionadas à proteção do patrimônio material e imaterial guardado pelos povos indígenas, e comunidades tradicionais de quilombo e de terreiro", conta a subprocuradora-geral do MPT Edelamare Barbosa de Melo, que idealizou e organiza o evento.

No evento serão realizadas palestras, painéis temáticos e conclave acadêmico, onde serão discutidos os seguintes temas: escravidão e reparação; direito à identidade e à memória; preconceito, racismo e discriminação nas relações de trabalho, produção e consumo; grandes obras, agronegócio e mineração e seus impactos nos povos originários e comunidades tradicionais; políticas públicas; educação para as relações étnico-raciais; cultura, saúde e segurança alimentar; relação entre cultura, religião, política e direito; sistema de justiça e garantia de direitos; organização social e direito do trabalho; relações étnico raciais e direito de existir; colonização e construção da sexualidade brasileira; fundamentalismo, sectarismo e religiosidade; infância, juventude e direitos das futuras gerações; questão étnico-racial, de gênero, orientação sexual e identidade de gênero; relação entre etnia, raça, gênero, religiosidade, violência e assédio nas relações de trabalho, produção e consumo, adotando como marco normativo as Convenções 169 e 190 da OIT, e demais normativas internacionais e nacionais aplicáveis à espécie.

A inscrição é gratuita e pode ser feita até as 12:00 do dia 21 de outubro, aqui.

Informações: PGT

 

Imprimir