Atenção
O atendimento presencial é feito seguindo os protocolos de segurança contra a Covid-19. Antes, ligue e tire suas dúvidas sobre denúncias e atendimento. Veja aqui os telefones.

Primeira biblioteca indígena de MT é inaugurada em Juína

A estrutura da BiblioÓCA foi construída pelos próprios indígenas, com o suporte da UFMT, mantendo a arquitetura tradicional da comunidade. O projeto teve apoio do MPT e da Justiça do Trabalho

14/01/2021 - A primeira biblioteca indígena de Mato Grosso, a BiblioÓCA, foi inaugurada no mês de dezembro, em Juína, a 737 km de Cuiabá. Além do acervo de livros temáticos, o local conta com galeria de memória das lideranças indígenas do povo Rikbaktsa.

O Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso (MPT-MT) e a Justiça do Trabalho contribuíram para a realização do projeto, inédito no estado, destinando valores para aquisição do software de gestão do acervo de livros, notebook e leitor de código de barras. A BiblioÓCA integra o Sistema Municipal de Bibliotecas de Juína (SMBJ) e recebeu ainda recursos da Prefeitura Municipal, da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) e de outros parceiros para sua construção.

Rede de bibliotecas

No total, o MPT e a Justiça do Trabalho destinaram R$ 186.776,68 em benefício do município de Juína no ano passado para a execução do projeto, denominado ‘Gestão de Acervo e Acessibilidade do Sistema Municipal de Bibliotecas de Juína para o Enfrentamento da Covid-19’.

O objetivo do projeto é promover a estruturação tecnológica, inclusiva e democrática e possibilitar o acesso da população ao acervo das 10 bibliotecas que compõem o Sistema Municipal de Bibliotecas da cidade. A biblioteca indígena BiblioÓCA agora também integra esse sistema.

Por ocasião da inauguração, ocorrida em 19 de dezembro, o ex-secretário de Cultura do município, Adriano Souza, assegurou que a BiblioÓCA possui acervo de livros sobre a história do Brasil, dos povos indígenas e sobre história geral. A partir deste mês de janeiro, o espaço passará a contar ainda com um laboratório de informática. “Também teremos as monografias, teses de doutorado e dissertações de mestrado feitas pela UFMT e Unemat, referentes ao povo Rikbaktsa. Além disso, serão compradas mais obras referentes à temática indígena através da Lei Aldir Blanc”, explica.

A biblioteca funciona todos os dias, das 8h às 18h. A entrada é gratuita. O espaço acomoda até 30 pessoas, mas, devido à pandemia, tem funcionado com 50% da capacidade, conforme determina o decreto municipal.

 

Pandemia

O projeto denominado ‘Gestão de Acervo e Acessibilidade do Sistema Municipal de Bibliotecas de Juína para o Enfrentamento da Covid-19’ foi aprovado em maio do ano passado pelo comitê local de destinação de valores oriundos de ações civis públicas ajuizadas pelo MPT.

O valor possibilitou a compra de acervo de centenas de livros físicos e digitais, jogos educativos, notebooks e outros eletrônicos. Também contemplou a aquisição de software para a integração de todas as bibliotecas públicas do município e de dezenas de dispositivos acessíveis a pessoas com deficiência. Foram adquiridos sintetizadores de voz, impressoras em braile, tablets, leitores de livros digitais (e-readers), ampliadores eletrônicos (lupa mouse), lupas em régua e lupas manuais, entre outros.

Destaque para a compra de equipamentos de higienização específicos de livros, além de uma moto para entrega de livros físicos nas residências dos moradores. Foram priorizados pelo serviço de delivery os idosos, doentes, as pessoas com deficiência, gestantes e crianças. Em novembro do ano passado, o projeto Biblioteca Delivery de Juína venceu o prêmio Ibero-Americano de Bibliotecas Públicas, na categoria excelência.

Informações: Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso (MPT-MT)

Contato: (65) 3613-9100 | prt23.ascom@mpt.mp.br

Site: www.prt23.mpt.mp.br | twitter: @MPT_MT | facebookMPTemMatoGrosso | instagrammptmatogrosso

Imprimir